primeira reunião de grupo – liderança

Hoje foi um dia muito importante. Começou com o lançamento do Factions Preview Event (pelas 8am) e acabou com a primeira reunião oficial da organização da guilda e logo com TeamSpeak 🙂

Neste momento, a guilda tem 30 membros (nacionalidades/origens: portugal, macau, escócia, roménia, inglaterra, dinamarca, noruega, nepal, EUA), aparentemente 2 mulheres e 28 homens. 1 team leader, 8 officers e 21 membros. Nos últimos dias, os 2 officers mais activos fizeram várias sugestões e mostraram várias vezes interesse no “guild spirit building” (criação de um Guild Day, utilização de um VoIP, definir regras e códigos internos). E ontem, fizemos a primeira party de grupo (pela primeira vez, 6 membros jogaram juntos – nunca antes tinha existido uma party de grupo com tantos elementos da nossa guilda). Chegava a altura da primeira reunião a sério…


Hoje, o DC descobriu que podíamos ter uma sala de TeamSpeak (um VoIP) e, como eu tinha pedido uma reunião com os dois officers (DC e TL) para falarmos sobre a guilda, fizemos o primeiro encontro falado entre membros. Reunião entre aqueles que actualmente são os elementos mais importantes da guilda.

– Depois de alguma vergonha inicial (não muita, afinal já todos tínhamos falado muito bem uns com os outros em chat e todos já tiveram experiência de utilização da net para falar/comunicar – para além disso, estavam presentes aqueles que são provavelmente os 3 membros mais sociáveis) e “alinhavarmos” com muitas desculpas pelo meio o nosso inglês (2 portugueses e um nepalês a falar inglês… todos a dizer que não sabiam falar muito bem :-), acabámos por passar quase 3 horas a falar… para uma primeira vez, não foi nada mau… Durante a conversa, como era uma reunião de “trabalho”, estivemos sempre no Guild Hall (nossa sala 3D privada para reuniões) – a ilha da guilda a que só os nosso membros têm acesso. Ou seja, 3 pessoas que só se conhecem do jogo passaram a conhecer-se um pouco melhor (o TL é nepalês e está a estudar Engenharia Civil em Inlgaterra) e a primeira conversa durou logo quase 3 horas. Acho que o “trabalho” foi também uma boa desculpa para a primeira interacção “de voz”, já tinha havido algumas sugestões antes no sentido de experimentar um VoIP, esta foi a aprimeira vez e havia uma boa razão…

– O trabalho: definimos regras que nos parecem necessárias ao bom funcionamento

a) Rácio – 1 officer por cada 5 membros (temos 30 membros, vamos ter 6 officers)

b) Presenças/actividade: membros com 3 meses de ausência sem justificação são expulsos; officers com 1 mês de inactividade passam a membros (despromoção)

c) Cargos: passamos a ter um RolePlaying officer (organiza as partys, o guild day e as ajudas aos mais “novos”), um Competitive officer (organiza a equipa para a competição, escolhe jogadores, lidera equipa e prepara tácticas) e um recruiting officer (recrutamentos).

d) Guild day: está a decorrer uma votação sobre qual o melhor dia, depois disso, o RP officer marca no calendário e organiza (escolhe onde vamos e quem vai ou quantos vão)

e) Promoções e despromoções: decidimos que temos demasiados officers e 6 deles muito inactivos. Por acaso, durante a reunião, um deles surgiu online, convidei-o mas disse que não conseguia ligar-se ao Team Speak (depois de se mostrar algo reticente…) – suspeito que não quis juntar-se… Ficou decidido promover 2 membros mais activos a officers e fazer baixar outros 2 (por acaso aqueles que eu conheço há mais tempo – de outras “guerras” ) concordamos que as suas “social skills” não eram a melhores e que precisamos de officers com melhor espírito.Eu fiquei de falar com eles, pedir a voluntária passagem a membro. Vamos lá ver como vai correr… 3 dos inactivos não vão ser despromovidos porque explicaram a sua ausência e enquanto estiveram activos eram bastante sociáveis. Ficou bastante claro que as “social skills” são competência essencial para se ser officer (os despromovidos foram-no porque não demonstraram social skills – a inactividade poderia ser desculpada/explicada…)

f) Ideias que passaram durante a conversa com que todos concordámos: o elemento social (amizade, social skills) é essencial e os officers devem ter uma especial responsabilidade social (criar espírito de grupo e mantê-lo); é imporante falar com todos e cumprimentar sempre e responder às conversas; as decisões da liderança surgem como de grupo, não são tomadas por uma pessoa; é mais importante ter membros com competências sociais do que jogadores de nível muito elevado ou com muita experiência; temos de criar mais dinânica de grupo (falou-se em “dança em grupo”, exibir capas em grupo, parada), sobretudo situações de jogarmos mais em grupo; o bom relacionamento e espírito de grupo são elementos centrais numa guilda; a guilda serve mais para socializar do que para competir. Como é óbvio, parece que estamos os 3 em grande sintonia sobre o que é uma guilda e sobre o que queremos para a a nossa (uma guilda grande, orientada para o role-playing com alguns membros a jogar também em competição, bom espírito e amizade/fraternidade), fiquei muito satisfeito. No final, já falávamos melhor (o TL ficou de ir comprar um microfone melhor), o inglês foi ficando mais fluente e ficou a certeza que estas conversas são para repetir. Provavelmente, vamos ter várias partys e noites de jogo acompanhadas de VoIP. Pelo menos nós os 3…

Apesar de ter claramente liderado a “ordem de trabalhos” e as minhas sugestões terem sido aceites, fiquei com a sensação de que existe grande sintonia e que estes 2 officers prometem muito. 🙂 É claro que ainda nos estamos a conhecer mas fiquei bastante satisfeito.A guilda vai dar mais passos.

Advertisements

Comments are closed.

%d bloggers like this: