Algumas imagens sobre educação e salas de aula

24 April, 2007

Imagens que utilizo em diferentes apresentações. Queria partilhar as imagens e registar as fontes 🙂

Sala de aula germânica – século XIV (Staatliche Museum, Berlim.)

 

Aulas em França – 1957 (fotografias de Robert Doisneau)

 

“À l’ École” – Villemard, 1910. (A escola do ano 2000 imaginada em 1910) [restantes visões aqui]

 

O mundo actual…

 

agora googlem imagens de salas de aula actuais e vão chegar a uma conclusão muito próxima da minha…

Advertisements

Revistas e almansor

19 April, 2007

Relativamente ao metagame, a minha actividade tem estado muito “reduzida”: sobretudo aquisição e leitura de revistas que apresentem textos sobre o GW2 ou o Eye of the North. Também estou a terminar mais 2 textos para a minha coluna no gwvault mas ainda falta um tempinho…

Comprei a Joystick (como poderia resistir à capa com um logo enorme do GW2??) e fiquei desiludido: pouca informação e não gosto do estilo (já não é a primeira vez que a Joystick me desilude, a decisão de não voltar a comprar só foi excepcionalmente contrariada pela importância atribuída ao GW neste último número 😀

Comprei a Bgamer e… surpresa!!! Um texto interessante com informações sobre o GW2 e GWEN, imagens que ainda não conhecia, etc. Resta-me esperar pela MegaScore que tem obrigação (têm uma guilda de GW…) de oferecer ainda mais!

Entretanto, na Bgamer, descobri que existe um MMO de estratégia desenvolvido por portugueses que vai ter torneios com prémios monetários, chama-se Almansur. Para além da satisfação de conhecer um MMO português (não existem muitos jogos de computador desenvolvidos por portugueses, ainda menos MMOs), fico contente pela escolha do tema (não existem muitos jogos baseados ou que representem o Al Andalus) e pela personagem principal:  o Almansor passou aqui por Lamego, faz parte da história da cidade onde vivo neste momento 😀


Ao cuidado da Fundação Portuguesa de Cardiologia, Belmiro de Azevedo e outros portugueses

2 April, 2007

Eu nem queria acreditar… No blog do Ralph’s Koster aparecia a notícia que o jornal The Times (sim, sim esse diário histórico e referência mundial no jornalismo…) na sua edição de 31 de Março tinha um destacável de 8 páginas dedicado ao World of Warcraft e oferecia um CD de trial… LMAO

Situações num futuro próximo:

a) “O grupo Sonae oferece 14 euros e uma Blade of Hanna ou um Elemental Mage Staff por acção da PT”

b) – “Ó Belmiro, tu amanhã vens com a malta jogar golfe na Quinta da Marinha?”

-” Eh pá… ó Balsemão mas tu já te esqueceste do raid que temos marcado para logo? É por essas e por outras que não chegas a officer da nossa guilda!

c) “Sócrates tu não podias promover-me a officer?”

“Manuel Pinto sabes bem que isso não é assim… enquanto não chegares ao lvl 40 é injusto para os outros, vai mas é levelar…”

“Eu não sei como é que vocês têm tanto tempo para levelar os chars… esse jogo é mesmo só grinding…”

” Ó Augusto Santos Silva sei bem que tens a mania que és l33t porque jogas Guild Wars e mais não sei quê, mas tens de respeitar os nossos gostos. Ninguém te obriga a jogar WoW… Assim como assim, sempre que lá vais ter com a malta pareces um griefer…”

“Eh pá não sejas assim… eu só queria que a nossa guilda abrisse uma divisão de guild wars… só isso.”

“Aqui só há um guild leader e chama-se Enginner S0cr4t3s. Quem não gosta, sai…”

link para o The Times


mais e jogos e menos leitura

23 March, 2007

O Dr House, famoso adepto da PSP, já tinha dito à Cameron “read less, more tv”, o que prova (se ainda fosse necessário…) que ele é um homem do mundo actual 😀

Agora, a Reuters (via artigo na CNET) publica um artigo onde apresenta algumas das ideias e autores que defendem que os videojogos devem estar mais presentes na escola. Na realidade, não descobri nada que diga “fewer books” (por vezes, estes títulos jornalísticos provocam mais mal que bem…) mas existem alguns dados/ideias interessantes. A “tese” já a conheço bem…


Seeker of Wisdom

20 March, 2007

E vai começar…


O Dr. Roizen e o Dr. Oz sobre os videojogos

4 March, 2007

Confesso que não sou leitor assíduo das Selecções Reader’s Digest. Nem tenho uma ideia muito positiva sobre a publicação… Felizmente que tenho uma rede de informações muito fértil 😉 (ty maria).

No nº de Fevereiro de 2007 das Selecções existe um pequeno texto sobre os videojogos assaz interessante. A secção chama-se “QI da saúde – boas decisões com os médicos Dr.Roizen e Dr. Oz”, uma espécie de “consultório” para onde as pessoas escrevem colocando diversas questões/problemas e procurando doutas respostas. No número de Fevereiro, o consultório apresentavaa seguinte questão: ” Parece-me que a única coisa que a minha filha faz é jogar jogos de vídeo. Devo preocupar-me?

Uma mãe preocupada buscava o auxílio do Dr.Roizen e Dr. Oz para o “vício” da filha.  Inicialmente, partindo do princípio que a “Selecções” é uma revista algo conservadora e tradicional (esta ideia deve vir do facto de eu associar a dita revista a pessoas já com alguma idade…), esperava que a resposta fosse uma diatribe virulenta contra os videojogos e seus malefícios. E enganei-me…

Os bons  dos Srs Doutores são cautelosos e preocupados mas lá vão dizendo que “desde que os jogos não sejam violentos e você concorde com o seu conteúdo, os jogos de vídeo podem apresentar vantagens para a saúde”. Claro que eles tinham de seguir a “pobre tradição”de associar as vantagens dos videojogos à “destreza manual” mas também mencionam os possíveis “benefícios de socialização”.

A desdramatização chega a atingir momentos de algum surrealismo… Os “sôtores” referem que “vários estudos demonstram que ver a televisão em excesso contribui para a obesidade, mas jogar jogos de vídeo não.” Razão? “duas mãos ocupadas nos botões dos comandos de jogo, não sobram mãos para o pacote de batatas fritas ou outros snacks” LMAO Nunca me viram a jogar…

Por fim, a recomendação clássica do limitar o tempo em frente ao ecrã e “assegure-se que ela pratica pelo menos 30 minutos de actividade física”. Terminando o texto  com um sábio (sem ironia!) conselho que muito me agradou: “da próxima vez que ela voltar para a consola, acompanhe-a”. Ora aqui está uma bela lição que aprendi: os “Sôtores” Roizen e Oz da “velhinha” Reader’s Digest (a revista nasceu em 1922)  conseguem ser mais abertos e modernos, menos preconceituosos, do que muita gente que escreve para aí em revistas recentes e da moda…


Sobre as classificações e os “não recomendados”

4 March, 2007

Aqui há alguma semanas, uma amiga alertou-me para o facto de uma nova revista (“Educar bem”) ter um pequeno artigo sobre jogos de computador. Não consegui comprar a primeira (mas já li e o comentário vem a caminho…) mas no segundo número vinha uma pequenina pérola: uma secção chamada “livros e jogos”. Para começar (para perceberem a “imparcialidade” dos editores!!!), a dita secção tem 4 websites recomendados, 5 livros recomendados, 1 livro em destaque (também pela positiva, recomendado), mais 10 sugestões de livros, 3 jogos recomendados e… 3 jogos não recomendados. Ou seja, pelos vistos, os jogos de computador são os únicos que “merecem” um destaque pela negativa… Ou então, talvez não haja livros ou websites não recomendáveis…

Entretanto, vejamos os 3 jogos não recomendados para crianças (segundo a revista): Mortal Kombat Armageddon, Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 2 e Gears of War. LOL
A Entertainment Software Rating Board (ESRB) é a organização internacionalmente reconhecida que classifica os jogos de computador. Eis a classificação da ESRB para 3 jogos…

Mortal Kombat Armageddon: M (Blood and Gore, Intense Violence)

Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 2: T (Cartoon Violence)

Gears of War: M  (Blood and Gore, Intense Violence, Strong Language)

Ainda segundo a ESRB, o M significa “(Mature) have content that may be suitable for persons ages 17 and older” e o T significa “(Teen) have content that may be suitable for ages 13 and older”.

Portanto, a revista descobriu a pólvora!!!! Quais são os jogos não recomendados para crianças? Aqueles que têm uma classificação para maiores de 13 ou 17…

Outras sugestões baseadas no mesmo critério e “modus operandi” (assim deve ser fácil publicar revistas… dá para mais uma página ou duas):Filmes não recomendados para crianças – “Massacre no Texas 2”, “Holocausto Canibal” e “Assassinos Natos”; Livros não recomendados para crianças – “Delta de Vénus”, “A vida sexual de Catherine M.” e “Diário de uma ninfomaníaca”…

Pequeno detalhe delicioso, segundo a revista, o Dragon Ball Z é para +18 e o Gears of War para +16… Mas ninguém sabe do que está a falar?!?